Build your base

Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula euripidis, hinc partem ei est.

 

Blog

Feira da Cortiça navega na maré alta do setor

A nona edição do certame maior de Coruche contou com um novo espaço dedicado ao vinho e apostou em “seduzir” os políticos nacionais para a causa do montado

O setor da cortiça exportou quase mil milhões de euros em 2016 e vale cerca de 8 mil empregos diretos. Portugal está no top mundial de produção de Cortiça e Coruche é o concelho mais produtivo. Por isso acolheu mais um ano, o nono consecutivo, a FICOR – Feira Internacional da Cortiça, inaugurada pelo ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que falou da importância do setor para o crescimento das deportações nacionais. Já o presidente da Câmara, Francisco Oliveira, destacou a importância da FICOR para a afirmação do concelho longo dos anos no contexto nacional e internacional, destacando o “carácter interprofissional” da feira, o facto de agregar os principais agentes da fileira, sem esquecer a questão da sustentabilidade ambiental do montado de sobro, neste que é o ano Internacional da Sustentabilidade.
Num dos dias da Feira, discutiu-se mesmo o estado da investigação neste setor e a forma de financiar a agenda de inovação. Este ano, a organização juntou também à mesma mesa vários deputados de todos os partidos com assento parlamentar para que, em conjunto, pudessem discutir a importância do setor e o seu grau de compromisso na sua defesa. Novidade ainda foi o espaço novo dedicado à relação «umbilical» entre vinho e cortiça, através da importância da rolha de cortiça para o setor vitivinícola. Francisco Oliveira fala desta aposta como “um sucesso de partilha tripartida entre casas vinícolas, produtores de cortiça e a população”.

A cortiça é o nosso ouro verde”, afirmou o presidente da Câmara de Coruche, Francisco Oliveira

Em jeito de balanço, o presidente da Câmara destaca o reforço do “carácter lúdico profissional da FICOR como um “selo de qualidade”. “Conseguimos colocar este tema na ordem do dia e reforçar a importância da sustentabilidade do sobreiro e da importância deste setor para a nossa economia, além de termos conseguido gerar atratividade e tornar a cortiça um tema atraente para o público em geral. Tivemos milhares de visitantes a assistir ao desfi le de moda «Coruche Fashion Cork» que este ano contou com os coordenados do estilista Nuno Baltazar, e a animação, quer em concertos quer nas atividades lúdicas para os mais novos, foi um sucesso”, afirma Francisco Oliveira. Também a corrida das pontes foi de novo um sucesso com mais de 900 inscritos, sendo já um marco nos eventos de corrida a nível nacional. “A importância do evento e a certeza de que estamos no caminho certo passa, também, pela atratividade que o nosso território tem tido nomeadamente com a IkiMobile que foi parceira do evento e vai investir 1,6 milhões em Coruche na área da tecnologia móvel”, frisou também Francisco Oliveira, sem esquecer que a feira tem também o objetivo de apoiar o desenvolvimento rural de áreas de baixa densidade.